Fratura de Úmero

26 abr 2011
Postado por admin

Recebi uma paciente de aproximadamente 38 anos que apresenta uma limitação na ADM de ombro, ex. nao consegue lavar as costas direito, fazer um penteado, a mesma já um tempo sofreu uma fratura da cabeça do úmero o qual durante o processo de imobilização com a tipóia ocorreu uma calcificação que limita a ADM, ela procurou o ortopedista e o mesmo lhe falou que nao tem nada pra fazer a nao ser uma nova cirurgia. Eu nao vi a radiografia e particularmente é um caso novo pra mim, portanto, quero saber se é interessante ela fazer a cirurgia, pois acho q a cirurgia pode ser um risco, pois o cirurgião tem de ser muito bom pra nao lesar a estrutura de nervo e tendões. E como a limitação é por contato ósseo, nao tem o que a fisioterapia fazer para aumentar a ADM, logo quero uma opinião a respeito se é interessante ela passar por essa cirurgia.

Olá, obrigado pelo

Olá, obrigado pelo contato.
Quanto ao caso penso que falta muitas informações para emitir uma opinião sobre realizar ou não uma cirurgia. Você não diz quanto tempo ela ficou imobilizada e nem a posição de imobilização. Inicialmente parece que ela recebeu o tratamento conservador (com gesso), mas depois você fala que o médico disse sobre uma nova cirurgia, o que sugere que a fratura já foi tratada com uma primeira cirurgia. Outro ponto importante é que você não viu a radiografia, e isto é essencial para saber se há uma restrição de movimento decorrente do osso ou da calcificação.

Você não coloca dado algum sobre a avaliação que fez, como a goniometria, pontos dolorosos, em quais situações aparece a dor......falta muita informação para eu te ajudar.Então seria importante ter essas informações claras e também o relato completo da avaliação que você fez.

De qualquer forma, considerando as informações que você colocou, penso que uma pessoa jovem como ela poderia inicialmente tentar a fisioterapia. É difícil acreditar que ao passar por uma cirurgia os fragmentos não tenham sido bem estabilizados de forma a permitir o movimento (ao menos uma boa parte dele). Assim, tentaria realizar a fisioterapia (ADEQUADA) por cerca de 2 meses. Caso a evolução não esteja sendo boa, então com o Rx em mãos eu discutiria com o médico (se possível) as opções a serem oferecidas à paciente.
Para a discussão da conduta terapêutica a ser adotada, eu preciso das informações completas, e se possível o laudo do Rx ou a imagem digitalizada.
Espero ter ajudado. mais uma vez solicito que coloque no site.
Obrigado
--