Cisto de Baker e Condromalácia

15 jul 2010
Postado por admin

Olá Valdeci! Gostaria de sua ajuda.
A paciente tem cisto de Backer no joelho "D" e condromalacea bilateral. Nao tenho experiencia no caso do cisto, mas ela estava só com medicação anti-iflamatoria e com a fisio (U.Som, gelo,alongamento IT, gastro, quadriceps, TFL,Liberação miofascial em trato iliotibial e em algumas sessões no inicio fiz drengem;) Com a melhora do quadro de inflamação já iniciei o fortalecimento de gluteos, quadriceps (exentrico), tibial ant.,e também de IT, tudo com cautela pois se forçasse um pouco já piorava a inflamação (edema no cisto), mesmo com uso do gelo no fim da sessão. Ela ficava bem(sem dor), mas percebia-se que havia derrame articular e no cisto, tanto que não ganhava extensão completa de joelho. Foram 20 sessões praticamente diarias e quando ficava sem a fisio piorava muito, com queixa de rigidez articular, principalmente de manha e dor na região do cisto (na fossa poplitea).
Não houve outra lesão associada pela RM.
Por problemas pessoais ela ficou uma semana sem vir e houve piora da inflamação (cisto) e resolveu mudar de medico e este fez punção de liquido e infiltraçao no joelho. Pediu 5 sessoes e o retorno, caso nao houvesse melhora iria fazer artoscopia e biopsia.
Pesquisei na internet sobre o cisto mas estou com muitas duvidas, pois parece ser muito delicado, qualquer coisa como ficar muito sentada, alongamento mais forte e etc, ele piora e as vezes nem sabemos o motivo.
Gostaria que me auxiliasse na indicaçao de artigos ou caso clinico, ou se acha que teria mais alguma coisa pra ter feito???
A biopsia seria somente para ver a origem do tecido do cisto?? Como estou fazendo Ultra-som, fiquei um pouco preocupada.
Por sua experiencia oq ue acontece com o cisto?? Ele regride?? se torna indolor depois de um tempo de fisio?? volta a inflamar periodicamente?
Obrigada.

Olá, Na minha experiência,

Olá,
Na minha experiência, casos de cistos inflamados são facilmente resolvidos com alongamentos leves e o uso de US ou Laser sobre a região do cisto, além do gelo no final da sessão.
Talvez o vilão da história não seja o cisto, mas a condromalácea. Como você não descreve onde é a dor dela, nem onde doi à palpação, eu estou assumindo que a pior dor está na região anterior e medial do joelho. Também a dor poderá ser lateral, considerando uma instabilidade patelar com pressão sobre o côndilo lateral. Se for isto, então o problema maior é da condromalácea. Neste caso o fortalecimento do quadríceps é o fundamental. O VMO é importante para facilitar a estabilidade da patela, mas embora alguns autores tenham sugerido que uma posição A ou B pode facilitar o trabalho do VMO, não há evidências concretas disso. O que se pode dizer é que tem de fortalecer o quadríceps, e que o VMO está mais ativo no final da extensão (onde sua paciente não realiza).

Assim, eu sugiro que você continue com o exercício excêntrico do quadríceps de forma a iniciar com a extensão total e partir lentamente para a flexão. Você pode tentar o uso de fitas adesivas (taping) para medializar a patela e depois fazer o excêntrico usando a fita. Para passar essa fita você deve avaliar o posicionamento da patela, se inclinada lateralmente, ou ântero-posteriormente ou ainda se rodada. Também é possível que haja um desvio em cada uma dessas direções. Espero que se lembre dessa técnica. O uso do taping precisaria ser com fita especialmente produzida para isto. Com esparadrapo não funciona bem.
Entretanto, se o cisto é septado, e for o vilão da história, então não adianta usar o taping, e o uso do recurso antiinflamatório deve ser feito também na lateral. Se eu entendi bem, a dor melhorou depois de 10 sessões e está somente posterior. Nesse caso, é necessário ter paciência que o resultado vai aparecer.
Mas caso haja piora, então é necessário pesquisar mais, e a biópsia é justamente para descartar outras possibilidades. Caso esteja piorando, você deve deixar os recursos antiinflamatórios de lado e usar somente gelo até que tenha o resultado da biópsia.
Lembre-se de que a fisioterapia não é capaz de resolver todos os casos e, se houver um cisto agressivo, maligno ou não, a solução acabará sendo cirúrgica.